19 de novembro de 2018
Home / Luta urbana / [SP] Reintegração de posse em Caraguatatuba (Cohab II – Itaquera/José Bonifácio)

[SP] Reintegração de posse em Caraguatatuba (Cohab II – Itaquera/José Bonifácio)

Via Pela Moradia.

Desde ontem, dia 17 de fevereiro, está ocorrendo uma desocupação no conjunto habitacional Caraguatatuba, na Cohab II em Itaquera/José Bonifácio.

Os moradores ocuparam os 940 apartamentos do “Minha Casa, Minha Vida” em julho de 2013. A ocupação conta com cerca de 1000 famílias, que foram desabrigadas por causa das enchentes de 2009 na região do Jardim Pantanal.

A ocupação recebeu ontem (segunda-feira, 17/02) o mandato de reintegração de posse e tinham 12h para cumprir a ordem. Algumas famílias fizeram um cordão humano e barricadas. Ao que parece muitos resistirão no local. Às 6h20 a tropa de choque começou a se posicionar para expulsar as famílias da ocupação.

Precisamos repassar as informações para que outros movimentos/organizações possam colaborar de alguma forma com as famílias da ocupação.

Relato enviado por um apoiante

Quanto ao processo que levou a galera a ocupar os prédios, foi que desde 2010 estava rolando a construção e que por diversas vezes foi interrompida. A data de entrega dos apartamentos estava marcada para maio de 2013 e, como o prazo não foi cumprido, a galera decidiu pela ocupação. Pelo visto não existe nenhum movimento tradicional de luta por moradia, mas os próprios moradores constituíram duas ONGs que estão gerindo o espaço e fazendo as negociações. Embora sem nenhuma organização tradicional, são bem organizados. Há uma liderança por bloco, que depois centraliza as informações em uma espécie de comando, e também há assembleias regulares de 15 em 15 dias.

O estopim para a ocupação parece ter sido um processo de corrupção na entrega das chaves. Todas as famílias de lá são cadastradas no programa, mas só conseguia a chave quem pagasse um valor, entre R$ 5 a R$ 10 mil. Com isso apenas famílias com renda superior a 3 salários mínimos (para ser generoso) conseguiam os apartamentos.

Cheguei lá ontem, terça-feira, dia 18, na parte da manhã e a tropa de choque estava dando uma canseira no pessoal, fazendo rondas e a toda hora vinha a notícia de que haveria a reintegração. Pelo que percebi, a maioria das pessoas estava disposta a ficar na resistência caso houvesse a reintegração.

Houve um pessoal que enviou uma galera para Brasília e de lá conseguiram uma liminar barrando a reintegração. Por volta das 15h a notícia chegou na ocupação e de que a Polícia Militar (PM) estava recuando para voltar na quarta-feira a partir das 6h.

No fim da tarde de terça-feira recebi a notícia que além da liminar conseguiram também uma reunião com o Haddad na quarta-feira.

Acho que seria importante continuar na divulgação e ver se é possível alguns grupos colarem lá, talvez com algumas atividades, mas acho que principalmente com equipamentos para ajudar na divulgação. A todo momento os ocupantes pediam para que entrássemos em contato com outros grupos para fortalecer a ocupação.

Acho que seria legal algo que ajudassem eles a produzirem o que gostariam de falar da própria ocupação. Quando a Globo estava por lá ouvi muitas críticas ao tipo de jornalismo que faziam, mas não rolava uma elaboração maior sobre o quanto a mídia burguesa é prejudicial aos movimentos de moradia. Tem muita gente querendo falar muita coisa importante, mas precisam apropriar-se de algumas tecnologias… se alguém pudesse levar umas câmeras, gravadores e acesso à internet, ajudaria muito a luta do pessoal.

Atualização

A ocupação Caraguatatuba decidiu em assembleia resistir de forma pacífica ao despejo. Faremos um grande abraço na ocupação e ficaremos de costas para a PM. A polícia avisou que vai invadir a moradia às 13h, se a opção da prefeitura de São Paulo e da PM for passar por cima de crianças, mulheres e idosos, isso aqui vai virar um massacre (e não um confronto).

2ª tualização

A ocupação continua — mais um dia na resistência!

Fonte:  Passa Palavra

Sobre admin

Veja Também

Nota de repúdio às práticas espúrias da política habitacional de Luciano Cartaxo, João Pessoa – PB

O Movimento Popular Terra Livre repudia veementemente a prática da Prefeitura de João Pessoa, pela ...